O vídeo de Benny

(Benny's video, 1992)
Austria, 105 min, 35mm
Direção: Michael Haneke
Roteiro: Michael Haneke
Empresa Produtora: Wega Film e Bernard Lang
Distribuição: Les films du Losange
Elenco: Arno Frisch, Angela Winkler e Ulrich Mühe

Exibição em DVD
Classificação indicativa:

Benny é um adolescente calmo e, ao mesmo tempo, rebelde. Sua vida se divide entre as pequenas contravenções escolares e o confinamento em seu quarto, que mais parece um parco estúdio televisivo. Após uma viagem dos pais, o rapaz fica sozinho em casa fazendo o que ele mais gosta: assistir vídeos em sua ilha de edição. Ele é fascinado, muito especialmente, por filmes de violência explícita e pelas fitas caseiras, realizadas por ele próprio e por seu pais, que também possuem uma bela coleção de quadros. Certo dia, Benny conhece uma garota e a convida para assistir seu vídeo familiar predileto: aquele que mostra cenas de um porco sendo abatido. A visão desse tórrido filme provocará conseqüências brutais, nas quais o espectador também é arrebatado. O vídeo de Benny deu grande visibilidade a Michael Haneke no circuito internacional dos festivais de cinema, chamando a atenção do público e da crítica por sua estética hiperrealista e pelo ataque explícito ao “lixo audiovisual” que polui nossos olhares. Aqui, o que entra em cena é uma crítica violenta ao poder das imagens numa sociedade cada vez mais cravejada por toda sorte de dispositivos midiáticos e deslumbrada pelos constantes apelos audiovisuais. Uma realidade alienante, na qual os indivíduos são cada vez mais reduzidos à condição de espectadores sonambulizados e isolados na falsa segurança de seus home-videos.



Trailer

< Três caminhos para o lago        A Rebelião >